ALTURA DOS INSTRUMENTOS X ALTURA DA VOZ

Toda a harmonia gerada pelo instrumental deve dar apoio ao vocal e ao animador

Um desafio que os ministros de música enfrentam em assembléias é que nem sempre os músicos que os acompanham têm caridade para com eles e discernimento na altura dos instrumentos, pois, em sua maioria, querem ter a plena certeza de que estão sendo ouvidos, ainda que sem a ajuda do som de frente ou do P.A.

Falta ainda o sentido do coletivo, do bem do outro em primeiro lugar e, nessa falta de santidade, o som que sai de seus amplificadores supera, em muito, a voz humana, ainda que esta esteja amplificada.

"Vivei em boa harmonia uns com os outros. Não vos deixeis levar pelo gosto das grandezas; afeiçoai-vos com as coisas modestas. Não sejais sábios aos vossos próprios olhos"(Romanos 12,16)

Por mais que o guitarrista, o baixista, o baterista ou o tecladista sejam bons músicos e tenham vida de oração e de serviço na Igreja, eles irão atrapalhar se não tiverem consciência de que seus instrumentos precisam auxiliar o "ministrar" a mensagem para que ela chegue ao coração do povo e este se deixe conduzir pelo animador.

Os instrumentos devem estar harmoniosamente ajustados de maneira que apareça o conjunto, não os indivíduos (a não ser em um momento de solo). Toda a harmonia gerada pelo instrumental deve dar apoio ao vocal e ao animador. É imprescindível que instrumentistas e vocais estejam atentos aos direcionamentos e gestos do animador e sejam obedientes a ele.

Ao animador cabe a tarefa de deixar-se conduzir pelo Espírito Santo e ser dócil às moções do Senhor. Essa é a receita exata para um frutuoso momento de louvor e animação.

De maneira clara: o volume do som do instrumental não pode superar o volume das vozes, de maneira especial do animador da assembléia ou ministro de louvor.

Preciso ressaltar a importância de se ter bom equipamento de som, incluindo caixa de retorno (monitores), para que todos ouçam com clareza o que estão tocando ou cantando e acompanhem os direcionamentos do animador, cuja voz deve estar em evidência nos retornos. Este, por sua vez, com a voz em evidência, deverá ficar atento para não cobrir os outros vocalistas nem retirar a harmonia vocal do grupo, especialmente se ele cantar "fazendo vozes".

Lembre-se também de que Deus está fazendo uma obra no povo e passa por todos. Sendo assim, as graças derramadas também são para os musicistas; por isso, é preciso ouvir b em tudo o que o ministro está conduzindo, não só para obedecer, mas também para participar da graça do momento.

Fonte: cancaonova.com
Compartilhe: