CARTA AOS MINISTROS DE MÚSICA DA IGREJA CATÓLICA

Como fazer para apagar a chama do dom de Deus no ministério de música, deixando só cinzas e o pecado.

1. Nunca escute as pregações. Quando não estiver tocando, namore, converse, brinque, ligue seu mp4, jogue no celular, pegue seu lap top ou note book. Critique e esnobe o pregador e vá debochando do coordenador, do padre e das pessoas que estão ali. Finja que está com sono e tire um sarro, dormindo no colo da sua namorada ou amiga e vice-versa, fique só de olho, azarando as gatinhas ou a rapaziada. Quer saber? Vá beber água, estudar pra prova, se coçar, mais por favor, não fique no recinto, pois pode haver uma oração lá dentro e você não precisa disso. Não é? Então vá lá pra fora para lanchar ou afinar os violões, bater papo. Fique por lá.

2. Quando assumir que irá tocar ou cantar numa missa ou encontro, chegue bem na hora ou atrasado. De preferência, no momento que já estiverem começando, para ligar e regular o som. Aproveitando coloque sempre no máximo, o volume do seu microfone ou do instrumento que tocarás e, é claro, sempre mais alto que o do padre, do coordenador ou do pregador, afinal quem tem que aparecer é a sua voz celestial, a guitarra santa, a bateria ungida, o divino baixo, o violão abençoado e o teclado angelical. A palavra de Deus é só uma peça decorativa.

3.  Faça comparações, carregadas de inveja, tenha ciúme, fale muito mal e destrua no seu coração, com esse comportamento, todo músico ou banda que seja melhor que o seu ministério. Haja como cabra macho e diga que aquela banda é só um coral de velhinhas e que, o seu “bando” é a coisa mais importante da igreja, do seu grupo de oração, da sua paróquia e da comunidade. Alimente bastante a vaidade pessoal e coletiva entre vocês. Briguem para tocar nas missas mais cheias para que, assim, vocês possam ser mais vistos e aplaudidos, sem falar que a galera mais sarada vai toda nessa missa. Que delícia. Cuidado! Deus pode dar um chute na sua “banda”, e vocês serão uns “bandamoles”.

4. Com o estoque de orgulho e vaidade transbordando, esqueça o Gálatas 5, e viva sempre na fornicação, tendo uma vida sexual bem desequilibrada. Se você for casado, viva o adultério, se solteiro, transe bastante com sua namorada ou namorado, fique com todos, ficantes, amigos, vizinhos, fãs, ouvintes, clientes, compradores dos seus cd’s e dvd’s. Vivam a prostituição, os vícios e a perdição no meio de vocês mas, para bombar nisso, é muito importante fugir discretamente da confissão, da comunhão e da adoração. Afinal todo artista é sensível. Por isso não resiste às cantadas e seduções, não é? Abuse da sensualidade na voz, na dança, no olhar, na roupa, na pose, no abraço, e até num simples toque ao rezar pelas pessoas, isso para atraí-las, fisicamente, seduzí-las e conquistá-las sexualmente.

5. Exerça seu ministério exclusivamente para satisfação plena das suas carências, caprichos, gostos, gastos e vontades. Torne as pessoas que se aproximarem, por causa da música, dependentes de vocês, do seu canto e encantos, da sua oração, do seu conselho e do seu domínio. Despreze a fragilidade, a história afetiva, as feridas e os traumas dessas pessoas. Esqueça que eles todos são filhos e filhas de deus e que se apoiaram em você, pensando tratar-se de um cordeiro de deus mais, coitadas, elas caíram nas garras do lobo mal. Deixe de herança para elas a mentira, a desilusão, o desprezo, a rejeição, a depressão, a falsa notícia de que deus é mal e não as ama e que é impossível ver santos na música da igreja.

6. Leve-as a terem medo de crer no senhor Jesus, nas pessoas sérias e na própria igreja, por sua causa. Contribua, agindo assim, para aumentar os casos de uma sexualidade com medo, culpa e angústias, as situações de gravidez inoportuna, com rejeição, escândalos, separações, aborto, lágrimas e pecados que poderiam ser evitados se você ficasse quieto e atento nos encontros, naqueles momentos mais profundos de pregação, oração e a missa. Seja um mau pastor como diz Ezequiel 34, 1 a 16 e não o bom pastor de João 10, 1 a 15. Não se interesse pelo que pode acontecer com essas pessoas, vítimas da vaidade de um, certo “cantor de Deus”. Besteira se elas ficam feridas, não confiam mais nos servos de deus e voltam para o mundão só porque rolou algo dentro do ministério.

7. Use e abuse da boa vontade e da boa fé das pessoas que frequentam a igreja e as pastorais. Finja que você vive e crê, no que canta, apenas como pretexto para você e sua banda ganharem status, dinheiro, fama, divulgação, patrocínio, sucesso, espaço, reconhecimento humano, clientes, seguidores, fãs, adeptos e consumidores em geral. Jamais busque orar para discernir e cumprir a vontade de deus a respeito de vocês (Romanos 12, 1 e 2), mais, ao contrário, participe dos eventos, pastorais, festas litúrgicas, celebrações da palavra e até das missas, apenas para cumprir preceitos e manter as aparências. Aja no politicamente correto, e por não rezar, diga sim a todos os convites que tenha muita galera e diga não a todos que envolvam pouca gente. Faça assim pra ser lembrado e convidado a tocar no Hallel, Rebanhão, PHN, ou Vem Louvar, e, quem sabe, no seu sonho de consumo, algo assim bem top, você tocar no Pentecostes. 

8. Cancele todos os ensaios, estudos de técnicas e linguagens vocais e musicais, rasgue suas partituras e nunca mais invista nos seus equipamentos. Pense: é tudo pra deus mesmo e ele não merece e nem exige coisas boas. Jamais faça cursos de liturgia e nunca queira, em hipótese alguma, saber sobre o tempo litúrgico, do que pode ou não pode ser tocado ou cantado nas missas, festas e celebrações próprias da igreja. Nunca compre e nem deixe ninguém da sua banda ganhar, manusear, abrir, ler ou conhecer a Bíblia, (palavra viva de Deus), o catecismo da igreja católica e livros de formação recomendados pela igreja. Cruz credo, eles podem mudar as suas intenções de destruir a música católica e o ministério. Ao contrário, leia sempre tudo que fala apenas de música, mesmo sendo livros protestantes, ateus, espíritas, seculares, fofocas de novelas e da vida dos artistas em geral. Com foco numa cultura musical superficialmente gospel, tenha uma visão relativista e reducionista da história da igreja, valorizando apenas o ecumenismo.

9. Quando for escrever uma letra para uma música católica, bote tudo que vier na sua cabeça, grave, publique e distribua. Jamais busque fazer uma revisão da escrita com uma autoridade eclesial e um professor de português. Afinal não se descaracteriza inspiração de um artista cristão. Pense sempre que é de Deus, foi ele que te suscitou. Siga o exemplo de uma canção famosa onde muitos cantam: “é Ele o autor da fé, do princípio ao fim, (de) todos os seus tormentos”. Não é assim que a maioria canta esse refrão? Engraçado! Chamamos Deus de tentador nesse trecho e nem percebemos. Mas ele nunca é o autor dos tormentos. Estes só originam do maligno, fonte de todo mal e pai da mentira, ou vem como consequência dos nossos erros e até do pecado original. O certo seria cantar: “é Ele, (Deus) o autor da fé, do princípio ao fim, (em) todos os seus tormentos”, ou seja, Deus nos dá a fé, do princípio ao fim, (durante uma grande tempestade), que veio cheia de tormentos. (a versão original foi corrigida há tempos).

10. Agora, quando vocês forem ensaiar, fiquem só nisso. Nunca rezem, varem as noites, façam todo barulho do mundo, não comam, não durmam, bebam bastante coisa gelada, usem músicas de todos os gêneros, artistas e compositores. Não se importe, na letra, com conteúdo, o bom é a diversidade musical que sua banda vai fazer rolar. Nunca se cuidem, esqueçam a saúde e nunca façam exercícios para respiração ou para as cordas vocais. Se for malhar a guela, cante bem alto as músicas vibrantes do Chiclete, de Ivete, da Banda Eva, sepultura e da Joelma só para fortalecer a voz. Se tiver alguém casado na banda ou que cuide de filhos pequenos, idosos ou doentes em casa, exija que essa pessoa dê exemplo e participe de tudo isso sem preocupação com o horário.

11. Não se esqueçam: depois de pedirem muito, dizendo que a comunidade merece um som melhor, e conseguirem a ajuda financeira necessária, a autorização do padre e a benção da igreja para montar a banda ou o ministério e já tendo conquistado fama, reconhecimento e grana, sumam da paróquia e só toquem em eventos maiores. Digam sempre que estão despreparados, só ensaiando e lavando as roupas sujas nas intermináveis reuniões de discernimento. Sejam obsecados pelo perfeccionismo ao ponto de não tocarem por causa de um FIO que tem gerado muito curto-circuito no coração dos músicos católicos: (falta interesse e oração) esse fio dá ganbiarra.

12. Quando rolar um encontro que seja muito bom, cheio de gente abençoada, muita oração, curas, libertações, músicas ungidas, pregadores cheios do poder de deus e se isso for uma boa oportunidade para sua conversão, mas vocês não foram chamados para tocar, não vá. Se for fique com um bicão enorme de ciúme e inveja, cuspa no chão quando chegar lá. Faça cara feia, finja que não tá nem ai. Deixe o celular ligado no módulo escandaloso e atrapalhe tudo. Desvie a atenção. Sente-se bem na frente mais saia o tempo todo só pra distrair as pessoas. Fique agrupado, na panelinha e desçam a lenha nos caras. Critique, deboche da forma como eles tocam ou cantam. Compare e fale mal dos instrumentos e do som deles. Cruze dedos, torça ao contrário, peça chuvas e raios, e se possível, provoque um apagão geral. Seja sinistro. Se te chamarem para tocar, não aceite. Fale que você não ensaiou e não conhece bem o repertório. Quer saber? Não apareça. Fale com as pessoas que por coincidência farão um retiro ou acampamento na mesma data e que vocês já sabem tudo que vai rolar nesse evento.

13. Já, se pintar provações e uma grande poda no seu ministério, tornando-o mini e estéril, quando Jesus vir puxar a corda de vocês para lapidá-los, como diz em eclesiástico 2, 1/6, permitindo que a misericórdia divina lave essa sujeira toda e que venha a tona os seus pecados não para ridicularizá-los mais para santificá-los, não aceite a poda. Revolte-se com deus, rebele-se, fique irado, pois, agora vocês não têm mais fãs. O espaço acabou, “o show já terminou, vamos voltar a realidade”. Só sobraram as dívidas e ninguém mais presta atenção e nem se deixa mais seduzir por vocês. “seu mundo caiu?”. Dê graças a deus. É para te salvar que Deus permitiu esse tsumani. Era falso o trecho do refrão: “ele não te deixará sofrer”. As portas se fecharam. O som tá bichado. Roubaram os microfones sem fio, a bateria empenou, o teclado queimou e o padre vos pediu um tempo. O cd que vendíam a r$ 20,00 aqui, vende-se a r$5,00 o pacote em qualquer encontro por ai, e, o pior, quem leva já ganha uma indulgência plenária, uma oração de exorcismo do Pe. Rufus, um voto para beatificação por martírio auditivo pela coragem de ouvir tais músicas tão vazias.

14. Nessas horas, chute o pau da barraca, pois você esqueceu que a única glória do artista de deus é exatamente a sua cruz. Ai tem uma saída: não confessem e nem reconheçam que fizeram por merecer essa situação que é a chance da restauração. Diga às pessoas que agora formarão uma comunidade e que, por isso vão sumir um pouco da paróquia. Fale, sempre usando só a terceira pessoa: “a igreja católica precisa se modernizar”. Pragueje todos, amaldiçoe e fofoque bastante, divida o povo de deus. Frequente agora somente as expressões de igreja que tem muita mídia e dinheiro, holofotes, gente fina, palco e picadeiro. Ali busque nova vitrine e diga a todos que sua comunidade te abandonou.

15. Diante  da  perseguição,  venda  ou  alugue  o som, (que   foi   comprado   por   diversas pastorais da sua igreja e entregue pra vocês para servirem ao senhor naquela comunidade), e, gaste todo o dinheiro, fruto desse novo negócio. Empreste os instrumentos para qualquer pessoa, ou até mesmo, use-os, sem nenhum critério, tanto faz, em festa rave, rock pauleira, forró do rela cocha, pagode, funk das cachorras e aché music. Aja como se tudo fosse seu. Não preste contas a ninguém. Toque com essas peças que já foram consagradas, em bares, botecos, zonas, motéis, inferninhos, bocas de fumo, nas esquinas da vida onde você quiser e puder ser visto e ouvido. Mas, de vez em quando, use-os na paróquia e vá misturando as coisas santas e pagãs. Copie tudo, que for bem ruim, dos artistas e cantores do mundão, desde roupas, vícios, hábitos malucos, tatuagens de caveiras, monstros, serpentes, dragões e demônios. Se adorne com ferros, pregos e coisas da moda. Ao cantar faça uns gestos obcenos. Curta as canções do estilo satãneja: camaneja, traianeja, vinganeja, droganeja chifraneja, pecaneja, sofraneja, foraneja, raivaneja, depreneja, mataneja e as bebaneja. Curta músicas de autorias desconhecidas mais, prefira aquelas que, com certeza, contém mensagens, não muito claras ao público, onde rejeitam a pessoa de Jesus e a igreja, desprezam a fé e adoram o inimigo e suas seduções mais perniciosas. Seguindo tal comportamento dê desculpas de que você está tentando trazer as pessoas pra Deus.

16. Porém se você cair do cavalo, igual Paulo, e a voz suave de Jesus gritar bem no fundo do seu coração que, aquilo que parecia impossível, que parecia não ter saída, ele vai mudar, e fazer restauração, desarme-se do orgulho e lembre-se que tudo é do Pai, toda honra e toda a glória.

17. Busque urgentemente um sacerdote e lave toda   sua   alma   na   reconciliação. “se confessares os vossos pecados, ele é fiel e justo  para  vos perdoar  todos  os pecados”. Dê o primeiro passo, perdoe (Robert DeGrandis). Lembre-se que aquele ministério é a sua via das lágrimas e missão. Sua família volta pra ela, sua família te ama e espera.

18. Nunca faça mais nada, mesmo que aparentemente seja pra Deus, sem rezar e discernir. Tenha um conselho de anciãos. Isso mesmo ouça sempre aos mais velhos e experientes na caminhada de oração e missão, seja amigo dos padres, bispos e leigos da nossa igreja. Ouça os pobres e os doentes, consulte os sofredores, pois é deles, por primazia, todo o reino dos céus.

19. Seja extremamente íntimo do espírito santo, o doce e exigente hóspede da alma. Combine com ele tudo, inclusive que você fará sempre a sua segunda voz. Deixe-o cantar primeiro em ti e siga seus acordes. Ele vindo trará um trio formidável que é nossa Senhora Mãe-Maestra, São José e o afinado Vocal-Livre do Arcanjo Miguel.

Volte ao primeiro amor, para Jesus reger sempre a sua vida com o Sangue Redentor.



Tadeu Roxsander – Missionário Católico de Brasília-DF. Artigo revisado em 2010, baseado em fatos reais. 
Compartilhe: