O MISTÉRIO DE DAVÍ

Um dos maiores exemplos de ministro de música que podemos ter e por conseqüência podemos aprender com ele. Dois pontos a serem destacados são: a certeza da consagração, certeza do chamado e o outro é a certeza da unção, Davi era um ungido de Deus. 

Dois pontos na qual o diferenciava dos demais músicos da sua época e das proximidades da região que vivia. Ser escolhido e ser ungido eram um grande diferencial e ao mesmo tempo uma enorme experiência de responsabilidade, pois todos o viam como um musico capaz de gerar pela sua música uma canção libertadora; Música capaz de expulsar algum mau. Deus, Iahweh sempre está com ele. As pessoas o viam assim, homem de Deus, amigo de Deus, homem pleno do Espírito.

Assim podemos observar nos dias de hoje que essas suas colunas que podemos ver como Davi está em muitos ministérios de hoje como algo distante e até mesmo perdeu o valor. 

Pude observar uma banda bem atual que em seus shows na qual frequentei confesso que me assustei, estive observando cerca de 10 apresentações e me apavorei quando via a condução do show, pois todas foram às mesmas coisas, tudo idêntico; Deixo-vos uma pergunta onde esta o Espírito Santo? Aprende que o Espírito Santo é um Deus capaz de tudo algo sempre novo, cada momento é novo, mas confesso que se hoje uma banda precisasse de alguém pra conduzir eu poderia ir, pois sei a sua apresentação toda na ponta da língua. O que acontece é que muito não estão conseguindo conciliar a mística e a técnica assim ainda que sem perceber se distancia das colunas confiada ao servo Davi;

A certeza de ser escolhido e o motivo para que foi escolhido, sou ungido. O ministério de música sem cura e sem unção é algo morto, incapaz de dar frutos e o pior, algo distante da essência confiada por Deus aos seus escolhidos. Sei vê as potencialidades dos músicos que me cercam, são ótimos super profissionais, mas digo que precisamos de músicos capazes de tocar os corações sem instrumentos mas pela sua capacidade de serem médicos de almas, existem muitos que tocam super bem, mas precisamos hoje de músicos que primeiramente sejam íntimos e ungidos de DEUS.
Compartilhe: