SÉRIE: DICAS ESPECIAIS PARA MÚSICOS


CUIDADOS BÁSICOS NO MANUSEIO DO SEU INSTRUMENTO MUSICAL

Além de simplesmente tocar ou aprender como utilizar um instrumento musical, existem alguns cuidados básicos a serem tomados com esses equipamentos, para que eles durem por muitos anos e continuem mantendo a qualidade sonora original.

Vamos conhecer alguns cuidados que não podem ser ignorados:


1.      Evite quedas e esbarrões. Lembre-se que um instrumento trincado ou amassado terá sua qualidade sonora afetada. 
2.      Se você transpira enquanto toca, evite que o seu suor passe para o seu instrumento musical, pois ele é abrasivo e pode corroê-lo. Portanto, limpe-o após o seu uso. 
3.      Necessário se faz que, periodicamente, você realize uma limpeza em todos os componentes do seu instrumento, evitando o uso de produtos químicos. Você poderá usar somente produtos neutros ou indicados pelo fabricante do seu instrumento.
4.      Para limpar instrumentos de corpo pintado, você pode utilizar lustra móveis ou qualquer produto para limpeza de móveis à base de silicone.  Para madeiras seladas, deve ser utilizado óleo de limão ou óleo de peroba em pouca quantidade. 
5.      Nunca deixe seu instrumento exposto ao sol. Ele poderá empenar (principalmente os instrumentos de madeira). 
6.      Evite guardar os instrumentos em locais úmidos. Isso poderá comprometer a madeira e enferrujar as partes de metal. 
7.      Quando não estiver utilizando o instrumento ou for transportá-lo numa viagem, por exemplo, guarde-o em mala, capa, case ou bolsa própria, dando preferência para as acolchoadas, pois protegerão contra choques, dando a ele mais segurança.
8.      Busque conhecer a linha de acessórios para o seu instrumento, buscando encontrar aquilo que melhor se adéqua à sua realidade. 

DICAS DE CONSERVAÇÃO DO VIOLÃO:


O violão é um instrumento que deve ser cuidado com atenção especial, pois pode sofrer alterações em sua estrutura, distorcer o som e reduzir a sua vida-útil.

Com esse objetivo, descreveremos algumas dicas de conservação e cuidados que devem ser observados quanto ao uso do violão.

Para manter seu violão em perfeito estado e sem danificar suas cordas e partes, você deve tomar algumas precauções e ficar atento a algumas regras:
  • Não colocar nenhum peso ou objeto em cima do violão
  • Não derramar líquidos em cima do violão
  • Não molhar o violão
  • Não bater o violão ou deixá-lo cair
  • Não deixar o violão à exposição do sol ou umidade
  • Proteger o violão de temperaturas muito altas ou muito baixas
  • Mantenha o violão dentro de um estojo ou em uma capa
  • Transporte-o sempre com bastante cuidado
  • Guarde-o deitado e com as cordas para cima e em local seguro
Para realizar a limpeza do seu instrumento, cabe ficar atento a alguns cuidados:
  • Utilize uma flanela seca e limpa
  • Ao trocar as cordas, a limpeza pode ser realizada com uma quantidade pequena de lustra móveis
Com esses procedimentos você será capaz de manter o seu violão em ótimo estado por muito mais tempo.

Uma das grandes preocupações um músico é conservar bem o seu instrumento. Não existe segredo, mas cuidar direitinho de uma guitarra, um violão ou um baixo bons exige certo cuidado. Por isso preparamos algumas dicas com os cuidados básicos que são necessários:
- Se você toca todo dia, deixe o instrumento respirar. Se for ficar muito tempo sem tocar, guarde a guitarra num case ou numa bag, para não acumular poeira.

- Nos dois casos, guarde seu instrumento em um lugar com umidade e luz controladas. Em um ambiente muito úmido, a madeira perde a resistência, o braço pode empenar e a parte eletrônica pode apresentar problemas.
- Não deixe o instrumento no sol ou em locais muito quentes. O ambiente seco e quente provoca a retração da madeira, que faz a guitarra perder massa e o braço empenar. Esses dois fatores prejudicam o som do instrumento.
- Evite a oxidação das ferragens. O ideal é tirar o pó de tarraxas, captadores e pontes com uma escova macia e uma malha seca como, por exemplo, tecido de camisetas.

- As cordas também precisam ser protegidas da oxidação. A limpeza diária precisa ser feita com uma malha seca e macia, para tirar o pó e o suor da mão. Se elas enferrujarem, troque-as. Nada de usar truques ou fazer coisas absurdas, como fervê-las em vinagre.
- Por fim, calibre seu instrumento. Se você não tem muita prática, procure um luthier de confiança para fazer o trabalho.

ALGUNS CUIDADOS COM O MICROFONE:
- Nunca deixe que ele caia no chão, a cápsula do microfone é algo frágil, e se amassada, estraga a sonoridade do mesmo;
- Evite tapar a cápsula com as mãos, quando não estiver cantando, pois gera microfonia, e quando estiver cantando, atrapalha a articulação da fala;
- Ajuste o som do microfone de forma que você se ouça, nem mais, nem menos, o canto deve ser livre, sem esforço para superar os instrumentos, se o mic estiver baixo, você ficará cansado tentando aumentar o volume da voz.

A DISPOSIÇÃO DA VOZ, USO DO MICROFONE E EXPRESSÃO CORPORAL AO FALAR EM PÚBLICO

Hoje, você aprenderá mais a respeito da disposição da voz, uso do microfone e expressão corporal para que você se dê bem ao falar em público. Nada de desânimos para esta leitura, pois ela é muito importante para você! Vamos ao estudo, acompanhe:
A disposição da sua voz

A voz tem um papel muito importante na nossa comunicação! Ela é instrumento de nossas intenções, vontades e emoções. A dicção, o volume, a velocidade e o ritmo são aspectos consideráveis com relação à voz.Dicção: é a pronúncia correta das palavras.

Um ótimo exercício para melhorar sua dicção:
1 - Leia um texto de aproximadamente 10 linhas.
2 - Apanhe um lápis ou caneta e coloque-o na boca e repita o mesmo trecho da leitura.
3 - Assim que terminar de ler, retire o lápis e repita a leitura.
Você perceberá a diferença com clareza.

Volume
Se você falar muito baixo, a plateia não entenderá sobre o que você está falando. Caso fale muito alto, irritará, com certeza, o público. Sendo assim, é necessário que você treine o melhor volume da voz em diferentes ambientes, inclusive com o auxílio de um microfone. Sempre verifique os recursos acústicos a serem utilizados para a sua apresentação, com antecedência, para que você se sinta à vontade e tranquilo no momento proposto.
Velocidade
Se você fala rapidamente e deseja permanecer assim, procure pronunciar cada vez melhor cada palavra, crie o hábito de repetir as informações importantes pelo menos duas vezes, com termos diferentes, para que a platéia entenda bem.

Se você fala lentamente, e sente-se bem nesse estilo, procure olhar para o auditório durante as pausas. Ao reiniciar, procure com ênfase e energia as três primeiras palavras para resgatar eventuais atenções perdidas.

Ritmo: vem do grego Rhytmos e designa aquilo que flui, que se move, movimento regulado. Para que a apresentação não seja monótona e cansativa, é imprescindível que o locutor alterne o ritmo da voz: ora com volume mais alto ou mais baixo, mais devagar ou rápido.
Convém lembrar que ao tomar alguns "goles de água" no decorrer da apresentação, sua voz ficará sempre eficaz.

Em síntese, para que você não se sinta "um peixe fora d'água" no momento de sua apresentação diante desses aspectos citados, treine com antecedência a sua fala com seus colegas, pessoas próximas ou familiares. "Faz de conta" que eles são a platéia no momento.
Caso você apresente problemas ou incômodo com relação à voz ou à linguagem, procure um fonoaudiólogo para sanar possíveis dúvidas.

O que faz bem para a voz?
• Beber água, boas condições de sono, alimentação balanceada, higiene bucal e dentária, acompanhamento da audição, repouso vocal, gargarejo com água morna e sal, aquecimento e desaquecimento vocal para profissionais da voz, bocejar, espreguiçar, boas condições respiratórias.

O que faz mal para a voz?
• Tabagismo, etilismo, drogas, pigarrear, tossir, gritar, sussurrar, alergias, automedicação, falar em competição sonora, falar em tom inadequado, mudanças bruscas de temperatura, alimentação gordurosa e de difícil digestão, café, chá (preto) e refrigerante em excesso.

Uso do microfone
Seja com pedestal, seguros na mão ou de lapela, a posição ideal para falar é de 10 centímetros da boca, abaixo na direção do queixo. Não se deve dirigir o olhar ao instrumento, exceto nos primeiros segundos da fala para posicionamento, ou na eventualidade de ter de virar o corpo para enxergar uma parte lateral de sua platéia.

Os pedestais são flexíveis e normalmente regulados com a ajuda da equipe do evento. Se segurado com a mão, deve ser posicionado com a distância já citada, e deixado descansado junto com o braço em momentos breves de intervalo (quando alguém faz pergunta; quando há alguma interrupção), sempre cuidado com o tremer do corpo e os gestos para não afastar o microfone da boca, com perda da qualidade do som. Os sistemas de lapela são fixados por um técnico e basta o cuidado de não baixar o rosto por algum motivo, porque a maior proximidade com o aparelho ultra-sensível aumenta, consideravelmente, o volume da voz.

A sua expressão corporal
É o movimento do corpo, o jogo fisionômico, o olhar, os gestos que fazem a comunicação não-verbal e acompanham a fala. Segundo psicólogos, a transmissão de uma mensagem é de 7% palavra, 38% voz e 55% expressão corporal.

Atitudes desaconselháveis em uma apresentação são:
Falar com as mãos nos bolsos;
Colocar as mãos entrelaçadas nas costas;
Apoiar os braços sobre a mesa;
Cruzar os braços constantemente;
Fazer gestos abaixo da cintura e acima da linha da cabeça;
Executar gestos involuntários, por exemplo, coçar a cabeça, estalar os dedos das mãos, mexer no cabelo, mexer em alianças e pulseiras, brincar com canetas ou papéis sobre a mesa ou com o fio do microfone em pé.

Ao falar sentado, evite cruzar as pernas em forma de "X", esticar as pernas e jogar o corpo para trás, ou pender o corpo para um dos lados apoiado no braço da cadeira. Não se pode ainda negligenciar a força da aparência, compondo roupa, sapato, acessórios (tecido, cor, combinação harmônica, estilo, quantidade e qualidade, adequação à estrutura corpórea).
Complementando, o que deve ser feito ainda:

a) agir com naturalidade;
b) manter o tronco ereto;
c) girar o tronco (sem exagerar) na direção em que se olha;
d) manter-se, sempre que possível, na postura clássica;
e) cuidado para não se movimentar de um lado para outro sem objetivos, o tempo todo.

Alguns vídeos:
Compartilhe: