MISSA E MÚSICA


Muitos ministérios começam com um intuito muito bonito: Cantar na Missa!
É bonito, mas não é o real. Primeiro porque, não se canta na missa, porque a mesma não é um palco ou um show. Depois é preciso entender que um músico e cantor, cantam e tocam A MISSA. Esse é o correto. E  porquê? Porque quando canto a missa, participo da celebração, estou ligado nas leituras e em todos os gestos que acontecem desde o sacerdote até a participação da assembléia.

 

Agora aqui vai algo que noto em nossas celebrações:

1. Muitas vezes os músicos que estão tocando nas nossas missas, por mais que tenham realizado o ensaio antes da mesma (e quando falo antes, não é 15m ou 30m antes da missa, mas antes, no sentido de fora da Igreja) sentem muitas vezes necessidade pessoal de ficarem tocando o instrumento bem baixinho, que segundo eles, é para não esquecer. Já é um ponto falho, porque quem ensaia e sabe o que vai fazer, não precisa ficar reprisando no momento da MISSA.

2. Conversas paralelas durante a homilia dos sacerdotes. Se a palavra que está sendo mastigada, explicada e a comunidade orientada à luz da Palavra de Deus não cai no coração do músico, então temos o ponto 3.

3. Os cantos não dizem muita coisa em relação ao que está se celebrando. Exemplo: Estamos no período da Páscoa e existem belíssimos cantos ligados a Palavra de Deus, preparado por comissões litúrgicas da nossa Igreja no Brasil. Não há necessidade de pegar cantos de ministérios de músicas católicos e utilizar em nossas celebrações! Por mais belos que sejam, por mais que falem do amor de Deus, da Ressurreição do Senhor, os cantos devem levar a assembléia à interiorização, à compunção, à alegria e o louvor estando ligados ao conteúdo teológico litúrgico do texto da Palavra de Deus da missa.
Por isso, é importante que o músico católico, na minha visão sacerdotal, esteja em comunhão com Deus, a exemplo de Jesus que sempre esteve em comunhão com o Pai.

Essa comunhão acontece quando:
1.       Faz adoração ao Santíssimo Sacramento;
2.       Missa diária (na medida do possível);
3.       Leitura da Palavra de Deus;
4.       Formação Doutrinal (conhecimento da doutrina da Igreja);
5.       Conhecimento básico de música.

É preciso, portanto, uma maior preparação do musico tanto em termos de espiritualidade e como de doutrina. Assim, é preciso que os músicos aprendam uma coisa muito importante:

A Missa não depende dos músicos. A Missa acontece com a participação da assembléia, pelo povo, ou sem povo, mas um elemento é essencial: O Sacerdote.
Claro que a musica, faz que a celebração da missa seja ainda mais harmoniosa, pois o canto expressa o que sentimos na alma!

Para que essa harmonia aconteça, é preciso observar por parte dos músicos alguns detalhes:
1.       Chegar com antecedência para a missa;
2.       Ensaiar com antecedência (não dentro da Igreja, Igreja é lugar de Oração e não de ensaio musical com instrumentos a toda altura);
3.       Se ensaiar, canta, se não ensaiar, é melhor não cantar.
4.       A missa não depende do musico. Chegar cedo. Não é conveniente o sacerdote esperar que os músicos preparem os instrumentos porque chegaram tarde ou não deu pra chegar cedo.
5.       As musicas devem estar em harmonia com o que a Igreja Católica celebra na sua liturgia e não deve ser a gosto pessoal desse ou daquele musico porque eu acho que essa tem a ver com esse tema. Missa não é TEMA, MISSA É SACRIFÍCIO!

Entende-se a Igreja na sua liturgia, quando dela nos aproximamos e amando procuramos conhecê-la!

Pe. Cássio Souza
Compartilhe: