Talento, vocação e dom: descubra se você os tem!

Qual a diferença entre talento, vocação e dom?

Eu tinha 15 anos quando ele me disse: “Você não tem ouvido musical. Jamais será músico!”. Fiquei arrasado. Eu era completamente apaixonado por música.

E você? Já se perguntou se tem vocação para música? Já se perguntou se tem talento ou dom para tornar-se um músico? Talento e dom são a mesma coisa? Leia e descubra.

Talento, vocação e dom - Augusto

Augusto Cezar, músico da Banda DOM / Foto: Arquivo CN

Vocação

A palavra “vocação” quer dizer “chamado” em latim. Eu prefiro dizer que falar de vocação é falar de um “vulcão” que entra em erupção dentro de nós; e quando um vulcão entra em erupção, ninguém fica parado. O calor é tão intenso, que nos põe em movimento. A terra treme. Nossas convicções são abaladas.

Uma vocação, um chamado, não precisa ter a lógica estruturada, e normalmente não tem. É como já disse uma escritora: vocação é um chamado. Podemos ser chamados para ir a algum lugar, mas não sabermos como chegar lá. O que fazer? Colocarmo-nos em movimento. Procurar os mapas, GPSs, aplicativos que possam guiar nosso trajeto com rapidez e eficiência. Esqueça a segurança. Se você se sentir inseguro diante de um chamado tão essencial, vá com insegurança mesmo! Triste é uma vocação recusada por medo e insegurança. Dê o primeiro passo, Deus o sustentará. Todo vocacionado é um corajoso!

Talento

E talento? O que é? É a habilidade que podemos possuir ou não para chegar a algum lugar, cumprir nossa vocação.

Eu narrei, no início, o diálogo com meu primeiro professor. Ele não via talento em mim e eu não conseguia me recusar à vocação de ser músico. Talento é a habilidade com que se realiza algo. Pode ser aprimorado, pode ser descoberto, pode ficar soterrado por tantas palavras ouvidas ao longo da nossa história, a qual, muitas vezes, guarda tantas incompreensões sobre aquilo que podemos ou não realizar:

– Não, o céu é azul.
– Não é assim que se toca.
– Por que você não faz como todo mundo?

Talento não pode ser medido com régua, esquadro ou compasso. Talento precisa de tempo, dedicação e amor para dar frutos, e olhos sensíveis para serem reconhecidos.

Dom

Todo talento é um dom? Não, querido leitor, nem todo talento é um dom. Dom é graça, é para o outro. Dom é o talento que cumpre a vocação pela felicidade do outro.

Ferreira Gullar dizia: “O sentido da nossa vida é o outro”. Sim! Todo talento que realiza a si mesmo apenas é exercício de vaidade. Talento que se realiza, ou melhor, que realiza o outro, este sim é um dom, porque dá frutos! Às vezes mais e às vezes menos, mas sem cessar jamais.

Vocação, talento e dom. A arte nos aponta sempre Aquele que nos convida primeiro e sai sempre antes ao nosso encontro. A arte expressa por talentos um pouco da beleza do Senhor de todos os talentos. A verdadeira arte é um dom, uma gratuidade para o outro, pelo outro e com o outro. Nesse dom experimentamos o mistério do Cristo, dom de Deus para a humanidade!

Augusto Cezar

Músico da banda DOM, compositor, escritor de 3 livros, professor e palestrante. Não sou nada do que realizei. Fui e sou tudo o que amei e amo. Além disso, não sou mais nada. www.augustocezarcornelius.com.br

7 formas de como desmotivar um integrante do seu grupo musical ou “o que um coordenador de um ministério de música não deve fazer”!

Sim! Eu posso escrever este texto! Pelo simples fato de que eu fui o pior coordenador que já vi em todos os grupos em que estive à frente. É irônico mas verdadeiro. Às vezes, assumimos funções para as quais não somos naturalmente talhados ou preparados e aí... bang! Passamos a viver uma montanha-russa de problemas e dificuldades que vão desde os aspectos mais específicos até os mais pessoais e subjetivos. Aqui vão dicas do que não fazer (ditas por quem descobriu na prática):

1 - não confunda coordenação com liderança 

Nem todo coordenador é um líder. Nem todo líder coordena. Isto depende de muitos aspectos. Alguns, extra grupo (decisões do pároco, etc). Então, se você está na função de coordenar - faça isso! Mas não chame para a si a responsabilidade, com o ônus e bônus, de ser o líder. Aliás, um bom coordenador reconhece as lideranças de sua equipe e as estimula para que possam contribuir sempre e casa vez mais com o grupo.

2 - planeje

É o que se espera de coordenador. É como um músico que espera a ação eficaz e rápida de um produtor musical (na hora da gravação) e de um gerente de turnê (na hora do show). Planejar dará tranquilidade para o grupo e um grupo tranquilo produz melhor.

3 - seja objetivo

Sabe aqueles áudios de WhatsApp em que com 20 segundos você já entendeu o problema a ser resolvido mas acompanha sofridamente a barra de tempo rolar por mais 2 ou 3 minutos de pura repetição e prolixidade? Acaba com a motivação e energia realizadora de qualquer um. Além da paciência. Seja objetivo! Pense antes de dizer ou escrever. E seja claro, amoroso e verdadeiro.

4 - seja verdadeiro

Sabe o ditado mentira tem perna curta? Eu posso dizer que conheço melhor do que qualquer um ele. Todos sabemos quando você está mentindo ou omitindo algo. Nem tente. Se quer convencer seja verdadeiro. Mesmo que isto cause alguma contrariedade. A verdade dá segurança nas relações.

5 - não diga “eu te disse” ou “ comigo foi pior” ou “ah, eu já sabia...”

Nenhuma dessas frases desperta motivação! Se alguém trouxe alguma contribuição que não é nova para você pense: bem, a vida me trouxe de novo esta questão para analisar. Como posso encará-la diferente e mais eficiente? Não seja presunçoso. Um coordenador presunçoso em geral é incompetente.

6 - não crie objetivos que não podem ser alcançados ou que o grupo não deseja alcançar.

São coisas diferentes. Explico. A primeira proposta é estabelecer metas que possam ser mensuradas e que sejam compatíveis com as habilidades e possibilidades do grupo. A segunda proposta é não estabelecer metas que desinteressam aos outros. Você vai acabar sozinho no barco. É claro que é importante mostrar os argumentos e muitas vezes o grupo não percebe a importância de algo e sua função é demonstrar isto. Mas não confunda este esforço com certa onipotência gerencial que exclui ou desqualifica a identidade e ambição de um grupo.

7 - não seja centralizador

Seja generoso. Aprendi isto com minha mulher. Ela consegue qualquer coisa de mim pelo simples fato de que é muito generosa, a pessoa mais generosa que conheço. Me sinto naturalmente motivado a retribuir e responder toda dedicação dela. Seja generoso!

Augusto Cezar – DOM

Live "Partilhas" Projeto Levi


Nossa participação na Live MEU CANTINHO, com Kell Duarte e Rodrigo Soalheiro foi muito engrandecedora. A acolhida foi fantástica e a live fluiu com naturalidade e leveza. Afinal, todos músicos, todos conhecidos, todos envolvidos com o propósito de compartilhar a palavra. Porque a palavra é a nossa Lei Maior. 

E assim, tivemos uma participação expressiva do público cativo com o pessoal convidado pelo Projeto Levi.

Como foi bom ver amigos da música por lá!!!


Adilson Carvalho representou muito bem o PL, acompanhando as músicas da live e levando suas canções autorais também, a Emy ficou acompanhando tudo on line, interagindo com o pessoal que participava; o Thiago participou de casa, e o Júnior ficou na interseção.









O tema da Live era “Partilhas,” e o encontro seguiu à risca o tema.

O Projeto Levi apoia essa iniciativa dos irmãos Kell Duarte, Rodrigo Soalheiro, com produção e direção de Petrus Barros, que vem movimentando os domingos à noite, de maneira leve e intimista, trazendo a boa música católica, com unção e evangelização.
 
#projetolevi | @projetolevi

Por
Emy Pereira
Projeto Levi

Músicos e Artistas terão Workshop com Augusto Cezar, da Banda DOM

INSCRIÇÕES ENCERRADAS PARA ESTE EVENTO!


O Projeto Levi orgulhosamente anuncia o Workshop de Composição Musical, especialmente preparado para músicos, compositores, arranjadores, produtores musicais e demais irmãos interessados em aprender mais sobre o dom de compor canções. Um evento onde será abordada a arte de transbordar em letras e canções a experiência mais profunda do amor de Deus, baseada na oração, conhecimento e serviço. Um momento de encontro de amigos da música católica e demais irmãos onde a vivência e a partilha serão o ingrediente principal.

Para este momento tão esperado, convidamos o queridíssimo Augusto Cezar, da banda DOM, que nos brindará com sua maestria e dom de compor, cantar e tocar. Augusto Cezar Cornelius, carrega em sua bagagem uma vasta experiência na música clássica e uma linda trajetória junto à Banda DOM, onde evangeliza através da música há mais de 20 anos, destacando-se como compositor de canções como: O Céu em VocêA Medida do AmorPermanecer No Amor, entre outras.

Augusto Cezar, também é professor de violão há 15 anos, escritor dos livros: Dentro De Mim Mora uma CançãoQuem Canta Reza Duas Vezes e Para o Meu Filho Que Vai Chegar. Atualmente escreve para os sites: Canção Nova (música) e para o Catholicus. Como palestrante tem viajado e ministrado cursos ligados à música e evangelização, partilhando o conhecimento adquirido ao longo de sua trajetória.

Você não pode deixar de aproveitar esta oportunidade única de mergulhar nessas águas profundas de conhecimento e fé, onde o objetivo principal é trilhar os caminhos da arte de expressar a vida e externar as maravilhas de Deus ou experiências vividas em canções.

Como é o workshop?
Este é um evento livre e presencial, com 04 horas de aprendizagem.

Após o workshop, você receberá um certificado de participação no total de 04 horas e link do material didático apresentado para fazer o download.

Qual é o objetivo?
O objetivo do workshop é reunir os compositores, capacitar aqueles que sentem a inspiração para escrever, arranjar ou produzir canções e fornecer caminhos para uma melhor utilização do dom de compor canções.

Para quem é?
Compositores da música católica,
Músicos católicos,
Letristas,
Arranjadores,
Produtores,
Pessoas interessadas em aprimorar ou avançar na área da composição musical.

Qual será o conteúdo?
1 - A canção - Características e conceito
2 - O compositor - Talento, vocação ou dom?
3 - Ferramentas de um compositor
4 - Forma e estrutura
5 - Rimas e versos
6 - O caminho melódico
7 - Procurando por um "gancho"
8 - Aspectos harmônicos - Tonalismo e modalismo
9 - Métodos de composição
10 - Composição e compositores


Dados do evento:
Evento: Workshop de Composição Musical
Data: 07 de Outubro, sábado
Hora: 14:00 às 18:30
Local: Auditório da Cúria Metropolitana de Brasília (Ao lado da Catedral na Esplanada dos Ministérios)

Fale Conosco:
Aqui no site www.projetolevi.com.br você encontra todas as principais informações sobre o workshop.

Mas se tiver alguma dúvida específica, entre em contato conosco pelo e-mail: projetolevi@gmail.com ou pelo Whatsapp: (61) 9 9836-2569 - (61) 9 9629-8227.

Deus te abençoe!
Projeto Levi

Entrei no Ministério de Música e agora?

musica católicaO novo sempre nos assusta, e, quando falamos em mudar de ministério, ou em ser chamado a fazer parte do ministério de música, o medo triplica. Pe Jonas Abib fala no seu livro, Músicos em Ordem de Batalha: “o Ministério de música é a ponta de lança para preparar os corações; para preparar o ambiente à ação do Espírito Santo; para povoar o lugar onde a música de Deus é cantada com a presença dos anjos. Quando se canta a música de Deus, os anjos vêm, cantam, louvam!” (Cf. Músicos em Ordem de Batalha. p .63). Então, meus irmãos, a missão vai muito além do que só cantar bem. Fique atento.

Primeiro de tudo: reze, reze e reze! Ministro de música tem que ter unção e intimidade com Deus. Quantas vezes já ouvimos pessoas com vozes belíssimas cantando, mas não nos sentimos tocados? O ministro de música vive aos pés do altar, pois é dali que sai toda a arte, toda a inspiração. Como está a sua oração pessoal? Tem dedicado tempo para ouvir a Deus e conversar com ele? “O povo de Deus precisa de conjuntos, bandas e Ministérios de música inteiramente consagrados ao Senhor, [...]” (Cf. Músicos em Ordem de Batalha. p.31). Busque ter uma vida de oração, vá mais vezes à confissão, abra-se às inspirações do Espírito Santo.

Em 1Crônicas 25, 7-8, diz assim: “O número deles, juntamente com seus irmãos exercitados em cantar ao Senhor, todos hábeis em sua arte, atingia o número de duzentos e oitenta e oito. Tiraram pela sorte, a ordem de serviço, pequenos e grandes, mestres e discípulos.” A passagem é clara quando fala do serviço. Não faz acepção de pessoas: pequenos e grandes serviam; mestres e discípulos serviam; os mais velhos e os mais novos, dentro do ministério, devem servir!

Não é, entretanto, para servir de qualquer jeito, a palavra de Deus também nos fala que eles eram hábeis em sua arte, eram exercitados em cantar ao Senhor. Portanto, estude! Sim, estude! Cresça cada vez mais no seu dom dentro do ministério. Se você toca violão, por exemplo, aprenda a tocar as músicas de sua comunidade ou movimento, aumente seu repertório, reze tocando para o Senhor e peça a Ele que lhe ajude nessa busca pela excelência. Estude música litúrgica e cante na sua paróquia as músicas propícias para cada tempo. Ensaie. Leia. Toque. Cante. “Uma boa música, além de produzir emoções, favorece o poder de Deus, a presença do Espírito Santo e dos anjos” (Cf. Músicos em Ordem de Batalha. p. 63).

Esteja aberto a correções fraternas, permita-se ser formado e forme também, não é porque você entrou agora que não tem nada para ensinar. Ajude, colabore. Nosso fundador, Luiz Carvalho, diz: “Se te pedirem para guardar uma caixa de som, ajude também a enrolar os cabos. Precisamos ser leves aos irmãos de ministério.” Seja disponível, não é muito eficaz ter um membro no grupo que não se disponibiliza para nenhuma missão, ou sempre falta às reuniões sem ao menos comunicar sua ausência. Pergunte-se: Será que eu tenho condições humanas para permanecer nesse ministério? Não esqueça: Todo chamado de Deus requer uma resposta humana.

E, por fim, encerro com uma passagem da Carta do Papa João Paulo II aos Artistas, na qual ele faz um apelo aos artistas, lembrando-os de sua missão específica de anunciar a salvação que vem de Cristo. “Todos os crentes são chamados a dar testemunho disso; mas compete a vós, homens e mulheres que dedicastes vossa vida à arte, afirmar com a riqueza de vossa genialidade que, em Cristo, o mundo está redimido, [...] está redimida a criação inteira.” (Cf. Carta do Papa João Paulo II aos Artistas. p. 27). Abrace o seu ministério, abrace sua missão! Que Deus o abençoe.

Bibliografia consultada:
Carta do Papa João Paulo II aos Artistas. 7ª edição. 2010
Livro Músicos em Ordem de Batalha. Ed. Canção Nova. 2010

Fonte: http://www.a12.com